top of page

sem título da série Há algo sólido no brilho do céu III. 2023. Recorte a laser em placas de acrílica. 20 x 20 cm cada

000.11.11.14.jpg

sem título da série Há algo sólido no brilho do céu II. 2023. Recorte a laser em placas de acrílica. 20 x 20 cm cada

há algo sólido no brilhodo ceu.3000..jpg

sem título da série Há algo sólido no brilho do céu II. 2023. Recorte a laser em placas de acrílica. 40 x 40 cm cada

sem título da série Há algo sólido no brilho do céu. 2022. esmalte, canta hidrocor sobre papel washi e tela. 40 x 40 cm cada

  sem título da série Há algo sólido no brilho do céu. 2022. esmalte, caneta hidrocor s/ papel washi e tela. 10 un de 40 x 40 cm; 10 un de 30 x 30 e 10 un de 20 x       20 cm cada

A série Há algo sólido no brilho do céu foi desenvolvida no período da pandemia, quando as pessoas, na procura de conexão e aproximação com seus amigos e familiares. Com uso da tecnologia, explorei os centros urbanos no território brasileiro que se utilizam da dos serviços de entrega postal. Essa série, produzida em chapas de acrílico, convida-nos a refletir sobre o aspecto cultural do homem contemporâneo, sua influência na ocupação de territórios, bem como os impactos de suas ações na existência de outras formas de vida, incluindo a de sua própria espécie, que coabitam este planeta. Essa reflexão caminha para além da cadeia alimentar e se aprofunda em aspectos materiais, filosóficos e espirituais que permeiam a existência humana. 

Corina Ishikura

(...)

Corina Ishikura - Agamben2 no seu texto “O que é o contemporâneo” nos diz, metaforicamente, que precisamos perceber, no escuro do nosso tempo, a presença da luz que procura nos alcançar e isso seria algo que nos concerne. Sim, o artista é aquele que, com sua arte, nos faz ver aspectos da atualidade e compreender questões urgentes que o mundo nos convoca. ( . . . )  Em seu trabalho a artista discute a relação do Homem com seu contexto, seu entorno e com a tecnologia de seu tempo, abordando diversas questões muito contemporâneas como mutabilidade, inconstância e imprevisibilidade. Na era da internet e do Instagram será mesmo necessário todos esses pontos físicos de correios?  Estamos imersos na escuridão e perfurando a solidez do nosso espaço com o excesso. (...)

1. Giorgio Agabem - filósofo (estética e política) italiana.

Nancy Betts

Jun. 2023

bottom of page